domingo, 21 de março de 2010

Neo Genesis Vol.44 - Uruha Interview



Waaaaaa agora a entrevista do Uruha s2 . Eu cada vez me impressiono mais com o amor dele pela guitarra ç.ç

Então, aí vai:

( ) - Comentários da revista

[ ] - Explicações da Hii-chan *3*

----------------------------

“‘Antes eu não gostava de música’ Desse passado contraditório para o presente. Uruha nos contou sua história como guitarrista. Desde que segurou pela primeira vez uma guitarra, ainda no Ensino Fundamental, o que o move é seu desejo por aprender mais sobre música ‘Gosto de pesquisar profundamente’ como ele mesmo diz. Vamos mostar um episódio interessante dele que é a pessoas-chave do apoio a produção dos sons diferentes do The GazettE”


-- Quando foi sua primeira experiência com a guitarra?

Uruha: A primeira vez em que peguei uma guitarra foi no Ensino Fundamental né. Na época ter uma banda era moda....se não me engano na 8° Série eu tinha um amigo que tinha uma guitarra, fui a sua casa para ver. Ele tinha também um pequeno amplificador e um pequeno effector, na época eram poucos que possuíam tudo isso. Então, ele tocou a introdução de alguma uma música e eu pensei “Incrível!”. Ele me deixou tocar um pouco também, foi bem divertido né

-- Antes disso você nunca pensou em tocar guitarra?

Uhura: Não, nunca. Eu não gostava de música, ouvia os hits J-pop que passavam na televisão....mas odiava as aulas de música né. A oportunidade de se tocar um instrumento era só nas aulas de música com piano ou flauta, e eu realmente odiava...e a banda não era esse tipo de música, para mim...me surpreendi comigo mesmo em como não era comportado.

--(risos) Não ser comportado é uma coisa que representa bem a banda de rock. Uma coisa bem livre.

Uruha: Sim, “ser obrigado a fazer” é algo que eu realmente odiava, independente do que fosse. Eu fazia futebol também mas...o que me levou a praticar foi a vontade dos meus pais de que eu praticasse algum esporte e aprendesse alguma coisa através dele, a medida que ia praticando ia ficando divertido, mas desde aquela época eu já tinha esse meu ritmo próprio (risos), então ter que acordar em um horário definido para ir treinar era uma coisa meio sufocante, mas que eu não conseguia contrariar por isso não conseguia me envolver por inteiro. Sempre fui uma pessoa que se envolve profundamente com as coisas que gosta, por exemplo mangá ou games, então acho que para mim uma banda foi uma coisa bem real.

-- Então Uruha-kun quer dizer que uma banda, a guitarra é uma coisa em que você pode se envolver de todo coração. E quando foi que você conseguiu sua guitarra?

Uruha: Quando fizemos uma apresentação para um festival na escola. Dei várias desculpas para ganhar um modelo igual a do SUGIZO-san. Quando falo isso com meus pais, eles dizem que achavam que eu iria enjoar logo (risos), mas a partir daí eu viciei completamente [na guitarra] e nunca maisvoltei ao futebol. No começo, meus pais ficaram muito preocupados por eu ter me viciado em um mundo difícil de se viver [querendo dizer que é difícil se viver de música].

-- Então para não preocupar seus pais, era necessário que você se dedicasse a guitarra com seriedade né.

Uruha: Sim, por isso pratiquei muito!! Por exemplo, se houverem 2 guitarristas o som de ambos será diferente, certo? Quando comecei a tocar, estava totalmente concentrado em reproduzir as músicas das bandas que treinava. Por exemplo, o tempo de atraso (através do effector, alterar o tempo do som da guitarra) não é possível se perceber com os effector baratos que vendem por aí, então começei a trabalhar por meio período para poder comprar um melhor. Quando usei pela primeira vez não consegui perceber de imediato a diferença, mas ouvindo e vendo com muuuito cuidado comecei a entender “ah! Então é isso....” e tocando “É verdade [muda]!!”, e isso era muito divertido.

-- Existem muitos tipos de effectors....se formos fazer experiências com sons, não tem fim...

Uruha: Sim, sim, desde antigamente eu adoro gosto de fazer experiências e pesquisar profundamente esse tipo de coisa. Pode-se até dizer que sou meio maníaco....principalmente se houverem 2 guitarristas na banda, só de ouvir é difícil de se destingir a diferença dos sons, certo? Porque existe uma diferença bem sutil entre os 2 [guitarristas]. Mas quando eu ouço isso sinto um “Estão tocando de todo o coração!” ou então “Essa pessoa quer fazer [o som] desse jeito...” e adoro essa sensação passada pelo som.

-- E onde você acha que esse sua “vontade de pesquisa” ou “ser maníaco” é aproveitado dentro da banda?

Uruha: Aah....por exemplo, nos solos de guitarra, não é o mais fácil de se perceber? No começo eu também achava legal, mas eu gosto mesmo é da parte fora disso, a metade do que eu achava legal. Essa parte é que “fala” né.

-- Wow! A guitarra “fala”. É uma expressão bem típica de guitarrista (risos)

Uruha: (risos) Ela está “falando”, quando sinto isso não posso mais nada né. Acho super legal não a guitarra que aparece na frente de tudo, mas aquela que dá exatamente o que a música precisa.

-- Então, como são os meios utilizados para escolher os instrumentos que mais “dá exatamente o que a música precisa.”?

Uruha: Penso em o que a música está precisando.....pode ser que ela não esteja precisando da guitarra, certo? Pode ser que dependendo da música ela precise mais de um som digital, mas aí já não é uma banda, então até onde consigo expressar isso com a guitarra né. Apesar de achar que existe um limite na expressão com a guitarra....então tento aproximar o máximo possível da imagem da música, com os aparelhos que existem agora. Claro que tem a guitarra principal que uso, mas tem também uma modelo. Mas quando estou no começo da criação de alguma música não penso muito no fabricante e vou à loja de instrumentos testar os vários tipos de sons, no final reproduzo com minha guitarra né. No live só posso contar com minha guitarra.

-- Então o segredo de Uruha-kun é não se apegar a detalhes e testar várias coisas.

Uruha: Isso, não diria não me apegar em detalhes, acho não ter conceitos pré-formados para poder experimentar várias coisas é o detalhe em que me apego. É como dizer que se parece com a vontade de pesquisar tudo profundamente né.

________________________________________

Uru, Uru, Uru *0* /parey :x

É isso minna-san, essa é o fim da entrevista da Neo Genesis. Espero que tenham gostado(ñ tem como não gostar 8B).

Byeee ~~*

Créditos: Hiiragi-chan *-*

AO RETIRAREM DAQUI, DÊEM OS DEVIDOS CRÉDITOS.

Olhem o tamaaanho da interview \o *aponta* foi trabalhoso traduzir concerteza, então onegai, dêem os créditos. xD xD

Um comentário:

Mayuxim (≧ ▽ ≦) disse...

OMG *-*
Que lição de vida!!!
Que determinação!!! *o*
xDDD

Uiuia e nota 10 man >8DD

OMG *o*
Adoro ele por varios motivos não somente pela beleza exterior mas também pela beleza interior *----*